Fone
Notícias
CATEGORIA DE PRODUTO – Produtos com conceito de inclusão e representatividade
26/02/2020

Aqui iremos apresentar materiais escolares que foram cuidadosamente desenvolvidos a partir do conceito da inclusão e da representatividade para que todos os estudantes se sintam, verdadeiramente inseridos e representados no ambiente escolar.
A empresa Mercur, conhecida no universo escolar por suas borrachas de apagar, explica que para o desenvolvimento de todos os seus produtos leva em consideração as necessidades das pessoas e não a necessidade de consumo. Desde que começou a repensar seu papel enquanto indústria, passou a buscar formas de entender as reais necessidades das pessoas e a disponibilizar seu conhecimento e estrutura para oferecer acesso a soluções que tenham significado para todos, trabalhando sempre com a cocriação. “Desenvolvemos produtos que atendam às necessidades específicas das pessoas, possibilitando a inclusão de forma integral, através da acessibilidade, equidade e respeito, proporcionando algumas condições básicas de autonomia e segurança a consumidores que não conseguem realizar certos movimentos e ações, como por exemplo, escrever o seu nome”, explica Márcia Murillo, da área de Inovação da Mercur.
Angélica Jappe, também da área de Inovação da Mercur, conta que na empresa há uma linha de trabalho chamada Atividades de Vida Diária (AVDs) composta por colaboradores de diferentes áreas que se dedicam a pesquisar e compreender de que maneira podem criar recursos que tragam mais bem-estar a vida das pessoas. Estas tarefas estão relacionadas aos cuidados pessoais, à mobilidade e à autonomia. Através da realização de oficinas de cocriação, experimentação e legitimação com educadores e comunidade, a Mercur incluiu adaptações do que já produzia, como cola, giz de cera, borracha, engrossadores de materiais de pintura ou escrita. Foram pequenas mudanças, mas que impactaram na vida de algumas pessoas.
A profissional da Mercur, Angélica, destaca que a empresa ressignificou sua caminhada no ambiente da educação quando deixou de comercializar produtos com personagens, os licenciados, por acreditar que na prática não contribuía com a educação, segregava as crianças e apenas incentivava o consumo. Ao buscar uma forma de compreender como poderia contribuir com a educação, ouviu as necessidades dos educadores e descobriu que não existiam materiais escolares acessíveis. Deste relacionamento surgiram produtos adaptados como o borrachão de apagar que facilita a pega para pessoas que têm dificuldade motora, dentre outros recursos. Este relacionamento cresceu e outros profissionais, pessoas e recursos foram cocriados. “A Mercur aprendeu muito sobre cocriação e essa prática passou a integrar todos os processos da empresa. Acreditamos que dialogar, ouvir atentamente, questionar e refletir é o que vai nos levar adiante e nos tornar mais assertivos, mais justos, mais conectados com as necessidades reais das pessoas e do planeta agora. Temos entendido que esta relação com as pessoas se fundamenta a partir de uma lógica mais próxima da Educomunicação que propriamente do marketing convencional. Queremos com isso, além de vender, proporcionar que estas ações de comunicação sejam espaços de reflexão, de aprendizagem e de partilha de sentidos com todos que se relacionam com a Mercur.”

Representatividade

Estar atenta às possibilidades de melhorar a experiência dos seus clientes e constantemente questionar o seu processo criativo, para entender como uma necessidade pode ser resolvida através de seus produtos, foram fundamentais para que a Faber-Castell desenvolvesse, em 2018, a linha Caras&Cores. “Foi quando nos perguntamos como poderíamos contribuir para mais atividades pedagógicas, trazendo a questão da diversidade, e lançamos a linha Caras&Cores que teve grande impacto nas escolas, ajudando na discussão sobre a importância da diversidade desde cedo”, conta Marcelo Vecchi, Gerente de Comunicação Externa da Faber-Castell.
Após o lançamento e êxito do lápis de cor da linha Caras&Cores, a Faber-Castell decidiu ampliar o portfólio trazendo também canetinha, giz, guache e massinha para que as crianças a partir de diferentes técnicas, pudessem se sentir representadas nos variados tons de pele.
A comunicação de todos os produtos da marca é realizada ao longo do ano, principalmente em plataformas digitais. No período de volta às aulas, os investimentos são ampliados, chegando a meios como televisão, cinema e OOH. “Além disso, trabalhamos com influenciadores digitais, importantes formadores de opinião no mundo de hoje. Optamos por estreitar o relacionamento com artistas, pais, professores e adolescentes, principais públicos da marca”, esclarece Marcelo.
Outro produto destacado pelo fabricante é a tesoura Vai e Vem, que permite que pessoas com níveis distintos de coordenação motora utilizem o produto, facilitando também a vida dos canhotos – público que geralmente possui dificuldade em encontrar materiais especializados.
TRIS Mega Soft Color Tons de Pele – o lápis de cor que traz 12 tons de pele – foi desenvolvido em 2018 pela Summit, a partir de conversas com educadores, psicopedagogos e pedagogos em uma pesquisa nacional realizada pela Talk. “Parecia óbvio, mas foi ouvindo as pessoas que entendemos a urgência de se ter uma caixinha de lápis de cor tons de pele no Brasil, um país tão diverso. Temos muito orgulho em ter sido a primeira marca a lançar essa ideia. E o diálogo segue através de muitas conversas que chegam através do nosso Projeto Escola Criativa TRIS, ação que trabalha diversos temas relacionados ao futuro da educação envolvendo professores, pais e a comunidade”, explica o Diretor Comercial da Summit, Guilherme Catta-Preta.
O TRIS Mega Soft Color Tons de Pele chegou em mais de seis mil pontos de venda e a grande aceitação do público motivou a marca a ampliar o portfólio e lançar em 2019 o conjunto de canetinhas tons de pele, o TRIS Mega Hidro Color Tons.  “Cada vez mais a sociedade está revendo conceitos importantes e novas temáticas ganham relevância, entre elas as questões ligadas a etnias. E na escola ainda há muito espaço para trabalhar este tema. Os brasileiros têm uma gama grande de tonalidades de pele, mas elas são pouco representadas nos lápis e canetinhas, uma das principais ferramentas utilizadas pelas crianças em suas atividades escolares. Ter a possibilidade de proporcionar representatividade e inclusão é uma forma poderosa de trabalhar identidade e autonomia. São itens que melhoram a vida de muitas pessoas. Crianças com diversos tons de pele passam a se sentir parte do desenho”, analisa Guilherme.

Cadernos e acessórios

Encontrar soluções para auxiliar no aprendizado de pessoas com dificuldade de coordenação motora, déficit visual e cognitivo, contribuindo para independência e autonomia na execução das atividades do dia a dia está entre as propostas da Tilibra, que trabalha com duas linhas com essas opções: Académie e Sapeca. A primeira, traz cadernos quadriculados com quadrículas maiores que as convencionais, com 2x2cm, e dois modelos com pautas largas. Esses produtos são voltados a pessoas com dificuldade motora e capacidade visual reduzida. Já Sapeca apresenta um caderno com pautas verdes para desenvolvimento e prática da escrita. Nesta temporada, a empresa lançou o Grip Ergonômico, que pode ser acoplado ao lápis para auxiliar na coordenação motora de crianças. O produto pode ser utilizado por destros e canhotos e vem em cores sortidas.
“A concepção dessa linha especial vai ao encontro do nosso conceito de propósito, que é oferecer produtos inovadores e de qualidade superior que tragam praticidade, segurança e conforto,contribuindo para o desenvolvimento e o aprendizado de crianças, jovens e adultos, independentemente de suas condições de aprendizado”, ressalta a Gerente de Marketing, Karina Marchini.
No Brasil existem mais de dez milhões de pessoas com deficiência auditiva. Foi pensando neste público e prezando pela inclusão, começando nas escolas, que a São Domingos colocou na guarda dos seus cadernos universitários e brochurão, o alfabeto, numerais e expressões da Língua Brasileira de Sinais. “Ao ver o alfabeto nos cadernos, as pessoas são impactadas e movidas por essa inclusão. Entendemos a importância de nos comunicarmos com todos ao nosso redor”, analisa a profissional de Marketing da São Domingos, Iandara Rodrigues. A empresa agora deseja expandir a Língua Brasileira de Sinais para os demais produtos do portfólio.
Carolina Andrade também profissional de Marketing da São Domingos conta que a inspiração para levar esse diferencial para os cadernos veio dos colaboradores deficientes auditivos da empresa, que desempenham um papel fundamental na São Domingos. “Sabemos e apoiamos a importância da inclusão na sociedade”, ressalta Carolina.
A fabricante alemã KUM, marca distribuída no Brasil pela Artistik, possui em seu portfólio produtos desenvolvidos com o objetivo de auxiliar pessoas com dificuldades motoras, proporcionando ergonomia, controle da força e maior facilidade de manuseio. Esses produtos são a Borracha de Detalhe e o Sattler Grip para empunhadura, este último contou com a consultoria da psicóloga e psicoterapeuta alemã Johanna Barbara Sattler. “São peças que proporcionam maior conforto e firmeza e têm sido utilizados por pessoas com dificuldades motoras, em reabilitação ou com necessidades especiais, auxiliando-os em suas atividades motoras de escrita e pintura. A KUM investe fortemente em pesquisas de materiais, tecnologias e designs que resultem em produtos que combinem os melhores atributos de qualidade, usabilidade e conforto. Com isso, faz parte da sua visão de mercado oferecer, além da linha tradicional, opções que contribuam com as atividades que exijam maior atenção motora de públicos mais específicos”, esclarece a Diretora da Artistik, Erica Pereira Rodrigues Rosin.
Dicas de exposição no PDV

O essencial é dar visibilidade a esses produtos e, se possível, mostrar suas particularidades e características. Se houver espaço na papelaria, a sugestão é criar uma área que reúna os diferentes itens e permita a experimentação para que as pessoas possam, de fato, conhecer e manusear os produtos e assim consigam perceber se eles atendem suas reais necessidades. Outro ponto que merece destaque é a localização do produto no ponto de venda, que deve estar acessível às pessoas, de forma facilitada, sugere a profissional da Mercur, Márcia Murillo. “Acreditamos na interação e na recomendação do uso adequado dos produtos a partir de profissionais habilitados. Desta forma, entendemos que um dos principais pontos dentro do PDV é o atendente conhecer e entender a funcionalidade dos produtos, pois assim consegue identificar as necessidades e auxiliar os consumidores. Além disso, a Mercur desenvolve conteúdos que ajudam nessa aprendizagem tanto do vendedor quanto do consumidor final. No youtube (https://www.youtube.com/watch?v=PBi6emB6oGo&list=PLvWSjoZjvdB1hhvmw1pbf3h44-xAOC3DR), por exemplo, há vídeos explicativos sobre o uso correto dos produtos. Os lojistas também podem utilizar este material para auxiliar o consumidor na hora da compra.
Na opinião da Diretora da Artistik, Erica, é pouco provável que os lojistas dediquem uma área específica para esses produtos com conceito de inclusão, por conta do tamanho do mix de uma papelaria e/ou loja de material artístico e da própria limitação do espaço físico da loja. Por essa razão, ressalta, uma equipe de vendas bem treinada é fundamental. “Vendedores que conhecem e reconhecem produtos que possuem atributos adicionais saberão oportunamente oferecer as soluções ao atender clientes que valorizam ou necessitam de produtos com tais características.”

VITRINE
Algumas opções de produtos com conceito de inclusão e representatividade que são disponibilizados ao mercado.

ARTISTIK

Borracha de Detalhe KUM: tem formato anatômico alongado, que permite além da pega com os dedos, o apoio da borracha na mão, resultando em maior firmeza ao segurá-la e precisão ao apagar.
Sattler Grip de Empunhadura KUM: direciona a correta posição dos dedos na maioria dos lápis, canetas, marcadores e pincéis, podendo ser utilizado tanto por destros quanto por canhotos. Seu sistema de realimentação e alívio de pressão evita que o usuário segure o instrumento de escrita ou pintura com muita força. Possui um toque extramacio e é feito de material livre de substâncias tóxicas sem risco de reações alérgicas. Disponível em cores vibrantes e nos formatos triangular e arredondado.

FABER-CASTELL

EcoLápis de cor – Linha Caras&Cores: em embalagem com 12 e 24 cores regulares, em cada uma com três cores tons de pele, permitindo criar seis tons de pele.
Canetinha Hidrográfica Colors – Linha Caras&Cores: composta por seis cores regulares e seis tons de pele, formulada com tinta especial, lavável e atóxica.
Giz de Cera – Linha Caras&Cores: com formato maior, possui fórmula mais resistente à quebra. Ao todo, são 12 cores: seis regulares e seis em tons de pele.
Massinha de modelar- Linha Caras&Cores: tem textura macia, não gruda nas mãos e nem esfarela. Sua fórmula é atóxica e vem com seis cores tons de pele.
Tinta Guache – Linha Caras&Cores: vem em seis tons de pele em potinhos com 15 ml cada, possibilitando misturas que darão origem a outros tons de pele.
Tesoura Vai e Vem: sua tecnologia exclusiva “abre e fecha” permite que pessoas com níveis distintos de coordenação motora utilizem o produto. A parte inferior da tesoura encaixa-se facilmente na mão e com pequenos movimentos é possível executar atividades diversas em papel. O item traz mais facilidade também para canhotos, público que geralmente possui dificuldade em encontrar materiais especializados. Disponível nas cores azul e vermelha, é indicada para crianças em fase escolar e possui certificação do INMETRO.

MERCUR

Giz de Cera Tijolinho: produzido com cera vegetal, não é tóxico e tem formato retangular, possibilitando novas formas de pega, traço e desenho. Pinta áreas mais abrangentes e é resistente a quedas.
Engrossador Grip: se encaixa em vários tipos de materiais, como lápis, canetas, pincéis finos, entre outros. Proporciona segurança e autonomia. Está disponível em dois tamanhos, o curto na cor roxa e o longo na cor laranja. Serve para canhotos e destros, melhora o controle da escrita, não deixa o instrumento escorregar das mãos ou da mesa e, principalmente, alivia o cansaço dos dedos. O Engrossador Grip Curto Roxo é indicado para pessoas que conseguem segurar o lápis ou a caneta com o indicador e o polegar (movimento de pinça). O Engrossador Grip Longo Laranja possibilita o uso por pessoas que seguram o lápis ou a caneta com a palma da mão (preensão palmar).
Cola 200g: o frasco ajuda a estabilizar o movimento das mãos em função do seu formato cilíndrico e robusto. O bico aplicador com abertura menor auxilia a tornar as colagens mais precisas e evita o desperdício. Possui duas apresentações, Cola Branca e Cola Gel.
Gizão Grosso de Cera Vegetal: sua maciez e seu tamanho robusto são ideais tanto para as mãozinhas pequenas, quanto para as mãos maiores, pois dão segurança e estabilidade durante seu uso. Por ser mais robusto que o giz de cera convencional, facilita a preensão.
Tinta Têmpera Guache Lavável 200ml: em frasco cilíndrico possui bico aplicador. O frasco robusto se adapta facilmente à mão, facilitando a pega por pessoas com dificuldade na preensão. Tem uma maior área de contato da mão com a embalagem, se comparada aos frascos convencionais. Esse formato também pode auxiliar no desenvolvimento da autonomia da criança, já que pode ser facilmente manuseada, sem necessitar de total auxílio de um adulto. Possui o nome em libras impresso no frasco.
Borrachão e Borrachão Longo: o Borrachão é grande e pesado, apaga áreas maiores e deixa os movimentos mais estáveis e seguros, principalmente para quem possui alguma dificuldade motora ou tremor nas mãos. Já o Borrachão Longo facilita o ato de apagar das pessoas que não seguram os objetos com os dedos indicador e polegar (movimento de pinça). Devido ao seu peso, pode facilitar o ato de apagar para pessoas que possuem tremores.
Há muitos outros produtos que não estão disponíveis no varejo, apenas no e-commerce da Mercur:
https://loja.mercur.com.br/tecnologia-assistiva#1

SÃO DOMINGOS

Cadernos universitários e brochurão: nas guardas dos cadernos estão disponibilizados o alfabeto, numerais e expressões da Língua Brasileira de Sinais.

TILIBRA

Linha Académie: cadernos quadriculados com quadrículas maiores que as convencionais, com 2x2cm, e dois modelos com pautas largas. Esses produtos são voltados a pessoas com dificuldade motora e capacidade visual reduzida.
Linha Sapeca: caderno com pautas verdes para desenvolvimento e prática da escrita.
Grip Ergonômico: para auxiliar no processo da coordenação motora de destros e canhotos e ser acoplado no lápis foi desenvolvido em borracha sintética em diversas cores.

TRIS

TRIS Mega Soft Color Tons de Pele: lápis com cores inspiradas nos tons de pele. Tem corpo triangular e 12 tonalidades.
TRIS Mega Hidro Color Tons de Pele: canetinhas com 12 cores inspiradas nos tons de pele, ponta bloqueada que não afunda e formato triangular para melhor pegada ao produto.
Giz Mega Gel Color: indicado para uso de crianças com deficiência devido à facilidade no manuseio do produto.
TRIS Lefty: desenvolvida para canhotos, tem pontas arredondadas, lâmina antiferrugem e 13cm de comprimento.
Bisnaga Guache: auxilia no desenvolvimento da coordenação motora e proporciona firmeza ao colorir.

 

Professor faz uso do giz líquido e obtém excelentes resultados com crianças que apresentam deficiência cognitiva

Formado em ciências e habilitado em matemática, Tiago Machado é professor de matemática do ensino fundamental e médio nas escolas: E.M. Das Acácias, na prefeitura de Itaguaí (RJ) e Francisco Caldeira de Alvarenga, em Santa Cruz (RJ). Há quase 4 anos tem o canal no youtube, “Matemática Passo a Passo” focado em concursos militares, também dá aulas para concursos em geral, ENEM, vestibulares, ensino fundamental e médio.

Revista Papelaria & Negócios – Como é o trabalho com o giz líquido e como ele contribui para suas aulas com as crianças com deficiência cognitiva?
Tiago Machado – Trabalho com marcadores coloridos de quadro branco em sala de aula há mais de 5 anos e tenho cerca 70% a 85% de ganho por parte no aprendizado dos alunos.
Uso para o ensino da matemática, em meu canal, os marcadores de giz líquido. As cores preta e azul são para a parte teórica, enquanto a vermelha para as partes mais importantes e cálculos, e as “fórmulas” ficam com as cores suaves como verde, lilás etc. Mantenho o padrão de cores durante a resolução dos problemas, pois o aluno acompanha melhor dessa forma. As cores ajudam os alunos a memorizarem as explicações, tornam o quadro mais divertido e atrativo para manter e prender a atenção.

Revista Papelaria & Negócios – As tradicionais marcas de artigos escolares oferecem opções de produtos com o conceito de inclusão?
Tiago Machado – Eu não conheço muitas marcas, mas no meu uso diário como professor de escola pública e youtuber, uso bastante os marcadores e tintas de giz líquido e quadro branco da Brasinks. São de excelente qualidade e o preço também é bastante em conta. Lápis de cor e tantos outros materiais são excelentes para crianças com problemas cognitivos, quanto mais cores e mais didático, mais feliz se torna o aprendizado deles.

Revista Papelaria & Negócios – Qual a sua opinião sobre a oferta desses produtos? O que poderia ser melhorado? Houve alguma evolução quando olhamos para trás?
Tiago Machado – Antigamente os materiais eram mais pesados, mais difíceis de carregar e hoje melhorou muito. Mas, acredito que é necessária uma evolução, especialmente no sentido de ser mais natural, mais “verde” e zero tóxico para as crianças. Alunos com problemas cognitivos tendem a ser menos pacientes e levar os materiais escolares à boca, inclusive, mastigando-os. Isso é bastante perigoso. Seria interessante as marcas investirem em materiais mais naturais e assertivos aos alunos, sempre tentando equilibrar com preços acessíveis.

Revista Papelaria & Negócios – Qual a importância desses produtos em sala de aula?
Tiago Machado – A diversidade de cores torna as aulas mais divertidas, os alunos entendem melhor a matéria. A explicação fica mais clara, colorida, objetiva e organizada.

Revista Papelaria & Negócios – Gostaria de deixar alguma mensagem?
Tiago Machado – Professores usem toda a criatividade para ensinar. Façam das cores aliadas do ensino. Deixem seu quadro parecendo uma obra de arte, com as cores organizando o raciocínio dos alunos. Usem também uma linguagem mais facilitada, do cotidiano deles. Aos pais e alunos, tenham paciência para aprender. Sou disléxico e me tornei professor de matemática. Ou seja, as barreiras são para serem vencidas e vocês irão conseguir. Agradeço a oportunidade de mostrar tudo o que aprendi e o que aplico dentro e fora de sala de aula.

TRIVIUN
WALEU 2
MOLIN
TRIDENT
REDICOLLA
BRW MARCAS
BRASINKS
DAC
BIC
FABER CASTELL
DELLO
PILOT